Sistema de Ciência e Tecnologia de Vitória inspira mestrado em SP

Pioneiro no país, o Sistema Municipal de Ciência e Tecnologia implantado em, Vitória em 1991 serviu de inspiração para a tese de mestrado do professor e Secretário Municipal da Prefeitura de Taquaritinga   (SP) Marcos Alberto Martinelli na Universidade de São Carlos, São Paulo. Nesta entrevista, ele ressalta a importância da experiência capixaba e do avanço que resultou na criação do Fórum Nacional de Dirigentes e Secretários Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação, presidido atualmente pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória, André Gomyde.

 

: O Sistema Municipal de Ciência e Tecnologia – com empresa gestora, conselho e fundo – criado em Vitória, em 1991, foi referência na elaboração de sua tese de mestrado ?

: Sim. O pioneirismo capixaba me despertou a atenção desde as primeiras abordagens e o estudo do exemplo de Vitória foi muito útil para compreender o movimento que prega o protagonismo dos municípios também nesta área.

 

: Pode-se considerar a experiência capixaba como pioneira no país ?

: Claro. Embora algumas cidades estivessem na mesma época em diversos estágios de desenvolvimento dos seus sistemas locais de inovação, o modelo de Vitória foi pioneiro por apresentar a tríade gestor-fundo-conselho mais harmoniosa. Outros municípios chegaram ao mesmo modelo, porém, mais tarde.

 

: Como pesquisador, poderia nos apresentar o quadro atual no Brasil dos sistema municipais de C,T&I ?

: A pesquisa investigou a documentação disponibilizada pelos secretários e dirigentes municipais que fazem parte do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação. Segundo estes documentos, a declaração, por parte dos municípios, de que estes possuem estruturas próprias de promoção local de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) é utilizada como condição para ingresso na organização. Estudos anteriores davam conta que apenas 68 municípios tinham um sistema próprio no ano de 2006. Com a organização dos municípios em torno de um fórum especializado nesta temática, o número, em 2009, passou para 115 municípios. Em 2011 eram 193 e no início de 2013 a relação atingiu um total de 266 municípios, significando um incremento de 78 novas adesões (aumento de 67,8%) no biênio 2009/2011 e 73 novas adesões (aumento de 37,8%) no período 2011/2013.

 

: A cidade de Vitória planeja a implantação de um parque tecnológico. Considerando a experiência de São Carlos (SP), chamada de “Capital Nacional da Tecnologia”, quais impactos devem ser esperados após a concretização do projeto, na capital do Espírito Santo e região metropolitana?

: Os estudos desenvolvidos em relação às políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação (C, T&I) apontam para a superação de modelos que envolvam somente governos, universidades e setores considerados estratégicos. Novas institucionalidades e regras flexíveis permitem, no caso brasileiro, o ingresso de outros atores interessados na associação – e no progresso decorrente – entre o conhecimento e o desenvolvimento local. Os impactos poderão ser sentidos, por exemplo, quando se verificar um número crescente de oportunidades de trabalho digno relacionadas aos parques tecnológicos. Isto se reflete na fixação de jovens talentos no território, maior atração de investimentos e remuneração que permite o profissional ascender à classe média, o que se traduz em melhor qualidade de vida.