Conselho do PDU garante área em Goiabeiras exclusiva para Parque Tecnológico

Por 15 votos a favor e apenas um contrário, os conselheiros do Plano Diretor Urbano de Vitória (PDU) aprovaram a reserva de uma área de 332 mil metros quadrados em Goiabeiras, para ser usada exclusivamente em atividades tecnológicas. No local a Prefeitura de Vitória vai construir um Parque Tecnológico e não será permitida à edificação de unidades residenciais, como era do interesse de alguns atores do mercado imobiliário.
O Parque Tecnológico abrigará empresas de base tecnológica, empreendedores, pesquisadores e instituições acadêmicas. O primeiro prédio a ser construído no local será o do Centro de Inovação. O edital para as obras dessa unidade será lançado nas próximas semanas.
A reunião que definiu o uso da área foi realizada nesta quarta-feira (22/02), na Escola de Governo, em Vitória. Participaram do encontro representantes da Prefeitura de Vitória, do Instituto Jones Santos Neves, das entidades profissionais de planejamento urbano, infraestrutura urbana, do mercado imobiliário, da construção civil e do comércio, além de moradores das regiões do Centro, Praia do Canto, São Pedro, Goiabeiras e Jardim da Penha. A proposta de garantir exclusividade da área do Parque para empreendimentos de base tecnológica foi aprovada por 15 votos a favor e apenas um contrário.

O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV), José Vicente Pimentel, instituição responsável pelo projeto do Parque Tecnológico e do Centro de Inovação, acredita que a decisão do Conselho do PDU “acaba com as incertezas” em torno do tema.
“Agora podemos trabalhar ainda mais firme para a construção do Parque Tecnológico. Vitória não tem espaço para agricultura, para indústrias pesadas, não quer indústrias poluidoras aqui, de maneira que a grande vocação da cidade é para a tecnologia. Temos um grande capital que são as pessoas bem preparadas, que vão encontrar no Parque excelentes oportunidades para criar oportunidades de trabalho, renda e melhorar a qualidade de vida para você, seus filhos e os filhos dos seus filhos”, avaliou.

A secretária de Desenvolvimento de Vitória, Lenise Loureiro, que coordenou as reuniões do Conselho do PDU, acredita que o Parque Tecnológico vai movimentar a economia da cidade, assim como aconteceu em Florianópolis, onde a atividade gera mais renda do que o turismo. “O Parque Tecnológico Fortalecerá essa matriz econômica para Vitória, disse.

A minuta do Plano Diretor Urbano está em processo de revisão final no Conselho do PDU. Em seguida, ela será apreciada no Encontro da Cidade pelos delegados eleitos nas comunidades e indicados por entidades da sociedade civil. Após essa etapa, o prefeito Luciano Rezende encaminhará a minuta à Câmara de Vitória para votação dos vereadores.

Assessoria de Comunicação da CDV (Com informações da Assessoria de Comunicação da Sedec).