CDV ampliará faturamento em 12,59% de 2012 a 2014

A Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV)  prevê crescimento de 12.59% (em valores correntes) em seu faturamento acumulado no período dezembro/2012 a dezembro/2014.

A empresa registrou elevação de 5,48% (em valores correntes) no faturamento, de dezembro de 2012 a dezembro de 2013. No acumulado de janeiro a setembro de 2014, a arrecadação foi de R$ 870.121,43. A projeção total até dezembro de 2014 é de R$ 1.160.161,91. A CDV administra atualmente 86 concessões de lanchonetes, bares, restaurantes e quiosques em vários pontos da cidade.

Com novas concessões contratadas e revisão de contratos antigos, a estimativa conservadora da CDV é de um aumento de mais 36,19% na arrecadação financeira até dezembro de 2015. A expectativa de faturamento até dezembro de 2015 é de R$ 1.580.000,00, já previstos no orçamento para o próximo ano.

MODELO DE GESTÃO

Os bons resultados são atribuídos pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV) – André Gomyde – às boas práticas de gestão implantadas na empresa.

“Com apoio do prefeito Luciano Rezende, trouxemos para a administração pública as boas práticas da iniciativa privada. Implantamos um modelo de gestão que consiste no acompanhamento sistemático das atividades da empresa e dos equipamentos que são objeto das concessões, detectando os problemas e buscando imediatamente as soluções, visando à conquista de resultados com eficácia no atendimento ao público consumidor”, afirma Gomyde.

Na sua rotina administrativa, a CDV reúne diariamente sua equipe de gerentes com o Presidente, pela manhã – quando são estabelecidas as metas do dia – e ao final da tarde, quando se analisa o que foi realizado. Essa prática possibilita que os problemas surgidos sejam enfrentados com rapidez.

André Gomyde ressalta também que a linha direta mantida com o prefeito Luciano Rezende tem superado mais facilmente os obstáculos da burocracia e abreviado as soluções administrativas. “O prefeito é um gestor disponível para ajudar a acelerar as demandas”, finalizou Gomyde.